GASTROENTEROLOGIA

A Gastroenterologia é a especialidade médica que se destina à prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças do trato digestivo, abrangendo, principalmente, o esôfago, estômago, intestinos, pâncreas e fígado. Utiliza dados da história clínica, exame físico, exames laboratoriais, radiológicos e/ou endoscópicos para complementação diagnóstica.

TIPOS DE DOENÇAS GASTROENTEROLÓGICAS 
  • Gastrite

  • Doença diverticular

  • Cirrose hepática

  • Hepatite C

  • Doença celíaca

  • Constipação

  • Doença do refluxo gastroesofágico

  • Pancreatite aguda e crônica

  • Intolerância à lactose

  • Diarréia aguda e crônica

  • Câncer colorretal

Fique atento à Hepatite C

 

Se você tem 45 anos ou mais,
peça para fazer o teste ANTI-HCV.
 
SAIBA MAIS
CÂNCER COLORRETAL

O câncer colorretal engloba tumores do intestino grosso (cólon) e do reto, geralmente originados a partir de lesões benignas (pólipos). É um tipo de câncer comum no mundo todo, acometendo homens e mulheres, com risco aumentado a partir dos 40-50 anos, mas é maior em quem tem história familiar. Pesquisa de sangue oculto nas fezes e exames radiológico podem ser empregados para avaliação, mas a colonoscopia ainda é o melhor método de rastreamento e vigilância, permitindo a identificação e remoção de lesões em estágio precoce.

CIRROSE HEPÁTICA
Resultado do dano hepático crônico, o qual pode ser decorrente de inúmeras doenças, como as hepatites virais B e C, o consumo de bebidas alcoólicas, doença hepática gordurosa, entre outras. Em estágio inicial não é percebida, mas com a evolução da doença, pode haver aumento do volume abdominal, inchaço e pele com coloração amarela.

 

DOENÇA DIVERTICULAR

Apesar do nome, os divertículos do colon só são considerados “doença” quando apresentam inflamação (quadro chamado de “diverticulite”), situação que pode ter complicações sérias, como perfuração, ou sangramento.

HEPATITE C
Infecção transmitida especialmente por contato com sangue contaminado, tendo como fatores de risco o recebimento de transfusão de sangue principalmente antes de 1992; drogadição e compartilhamento de agulhas; realização de tatuagens; e atendimento de salões de manicure (sem kit próprio).
É uma doença silenciosa, a qual pode causar lesão hepática e cirrose, sem desenvolvimento de sintomas em sua fase inicial. Com uma avaliação precoce, tratamentos podem ser oferecidos. 

 

DOENÇA DO REFLUXO
GASTROESOFÁGICO

Doença caracterizada por abdominal em queimação, azia e pirose, com regurgitação alimentar, sendo queixa frequente no dia a dia e relacionada a importante perda da qualidade de vida. Alimentos, medicações e medidas comportamentais estão envolvidas do desencadeamento dos sintomas, os quais podem ser identificados e tratados.

INTOLERÂNCIA À LACTOSE E AO GLÚTEN

Mal estar, com distensão abdominal, náuseas, vômitos e/ou diarréia podem ser manifestações de intolerância alimentar. Exames de sangue podem ser realizados para auxílio no diagnóstico.

 

 

Como identificar o

Câncer Colorretal?

Pesquisa de sangue oculto nas fezes e exames radiológicos podem ser empregados para avaliação, mas a colonoscopia ainda é o melhor método de rastreamento e vigilância, permitindo a identificação e remoção de

lesões em estágio precoce.

O risco deste câncer aumenta a partir

dos 40-50 anos.

Prevenção
 
  • Exames periódicos, sob orientação médica, alimentação saudável, e a prática regular de exercícios físicos são as melhores formas de cuidar da sua saúde.

 

  • Observe alterações no seu corpo. Ele diz muito sobre seus hábitos e pode indicar alguma doença.

Outras informações:
 

Federação Brasileira de Gastroenterologia:

www.fbg.org.br

 

Federação Brasileira de Hepatologia:

www.sbhepatologia.org.br

ESTEATOSE HEPÁTICA

 

Também conhecida como "doença hepática gordurosa". Costuma ser encontrada em exame de imagem do abdome e não provoca sintomas. Inúmeras doenças podem estar relacionadas:

  • Abuso de bebidas alcoólicas

  • Sobrepeso ou obesidade

  • Diabete melito

  • Dislipidemia

  • Hepatites virais

  • Medicações

  • Entre outras

Pode evoluir com inflamação do fígado, desenvolvimento de cirrose e câncer de fígado. Além disso, tem risco de complicação por doença cardiovascular.